O Baile do Menino Deus completa 36 anos de carreira como espetáculo, livro e disco, e 16 anos de encenação na praça do Marco Zero. O Baile é sempre novo, nunca se repete. Mesmo para o espectador mais fiel, aquele que assiste ao Baile todos os anos e, às vezes, os três dias de encenação, há novidades a descobrir e belezas com que se encantar.
Da estreia em 1983, no Teatro Waldemar de Oliveira, num palco italiano, para a grande estrutura do Marco Zero, muita coisa mudou. O texto original foi ampliado, as 12 músicas gravadas em disco incorporaram outro repertório, hoje formado por quase 30 peças. O formato teatral deu lugar à cantata cênica. Essas múltiplas possibilidades de encenar o Baile reforçam o conceito de obra aberta, renovável, antenada nas transformações do tempo.
Para a edição de 2019, foram convidados novos músicos e solistas, bailarinos e atores.
Alegre, emocionante e atual, o espetáculo cumpre a missão que o Mateus anuncia em uma de suas falas:

O Baile aqui não termina,
o Baile aqui principia.
Sempre.